FILME | Flores Raras

21009033_20130528233836266

Elizabeth Bishop é um nome que algumas pessoas já ouviram falar, mas como eu não sabem a história que envolve essa poeta.

Eu comecei a assistir esse filme sabendo que era inspirado em uma história real e que tinha alguns atores brasileiros, nada mais do que isso. E foi bom ter visto porque me despertou a curiosidade para saber mais sobre essa poeta e também sobre a paisagista brasileira Lota de Macedo que faz parte da história.

Ambientado no Brasil dos anos 50, o filme contará a história do relacionamento entre a poeta norte‐americana Elizabeth Bishop e a arquiteta brasileira Lota de Macedo Soares. Extremamente rico e, ao mesmo tempo, bastante conturbado, esse relacionamento rendeu frutos que são marcos artísticos universais: de um lado, a poética de Bishop, cujo auge ocorre exatamente no período brasileiro da poeta; de outro, a idealização e construção do Aterro do Flamengo, obra arquitetônica mundialmente conhecida, nascida do gênio delirante de Lota. Ao mesmo tempo, o filme será um passeio pela vida política, privada e pela história brasileira do Rio de Janeiro, na década de 50.

Essa é uma história muito forte e interessante, que poucas pessoas pensariam ser provável se não soubessem que aconteceu de verdade.

Uma boa parte do filme foi filmada aqui no Brasil e eu adorei o fato de muitas falas e conversas dos personagens acontecerem em português, isso faz a história soar mais realista. Principalmente porque o filme é dirigido pelo brasileiro Bruno Barreto, mesmo tendo a participação de atores americanos como: Tracy Middendorf.

O que me decepcionou um pouco foi que o filme retrata vários momentos de um período de tempo muito grande e fica um pouco difícil criar vínculo com os personagens e principalmente de aceitar e entender o romance. No começo não temos cenas que nos mostram como elas se apaixonaram e como o relacionamento já não é o mais fácil, fica difícil simpatizar pelo romance.

21059960_20131121173453337

A fotografia está muito bonita e as atrizes maravilhosas. Mais um ponto para Glória Pires que nos apresentou uma personagem tão forte e intensa que em vários momentos eu senti muita raiva dela.

Esse não é um filme excelente, mas fico feliz em ver essa história sendo representada, e agradeço a ele por abrir as portas para que eu conheça mais sobre essas duas mulheres fortes e interessantes que eu ainda não conhecia.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s