O transporte coletivo e seus personagens.

bus-stop-72171

Tenho a ligeira impressão que algumas pessoas quando entram em um transporte coletivo tem a necessidade instantânea de se transformar em um ser bizarro e incoerente, e eu infelizmente tenho a falta de sorte de sempre encontrar com esses personagens nas minhas longas e desconfortáveis viagens de ônibus.

Segue alguns exemplos que provavelmente vocês já encontraram por aí:

“Clube das senhorinhas” esse fenômeno acontece todas as vezes que no trajeto, o coletivo encontra com algum empecilho, seja um protesto, um acidente, ou simplesmente um trânsito lento. Do nada, todas as doninhas que se desconheciam e estavam cada uma no seu canto se transformam em amigas intimas e passam a entender de qualquer assunto que seja tema no momento. Cada uma tem uma teoria diferente sobre o motivo do transito está ruim, sobre como é a maneira correta de dirigir e qual é próximo presidente em que devemos votar. A única coisa que não sabem é que tem alguém espremido ali na cadeira do canto doidinho para poder ler seu livro em paz.

O cara do telefone também não é o mais legal de todos, está sempre com uma pose de superioridade, falando ao telefone com alguém que ele fala o nome repetidas vezes e contando alguma aventura acontecida recentemente que ele julga ser muito interessante a ponto de fazer questão que todos os outros que não estão interessados escutem.

E porque não falar da “tia” que está “ligeiramente” acima do peso e escolhe sentar ao seu lado por que acha que você é magricela e por isso ela pode usar a parte do banco que você não ocupou? Acho mesmo que elas me veem com cara de quem não vai enlouquecer por não poder movimentar o corpo durante todo o trajeto.

Nessas horas eu percebo que tipo de personagem sou eu nessa história. Além da menina distraída de fone de ouvido e livro aberto, sou também quem olha com cara de ódio para o individuo que quase deita no meu colo para jogar o lixo que cabia na própria bolsa pela janela.

E você quem é?

Leia ao som de: Ultrage a rigor “Ponto de ônibus”

Anúncios

7 comentários sobre “O transporte coletivo e seus personagens.

  1. Assim como para nós as pessoas são personagens para eles(as) nós também somos.
    A “tia” que está “ligeiramente” acima do peso sempre vai ficar sentada do seu lado na cadeira do corredor, mas quando você pedir licença para levantar ela só vai girar o corpo, mas a forma dele faz com que não faça diferença e você não consegue sair.
    Mas o que mais me incomoda é o pessoal do telefone, porque eu realmente não quero saber quem pegou quem, se a tia Cotinha ta com artrite nem nada do gênero.
    Faltou aqueles que não se abalam com nada e ficam apenas lendo seus livros.
    Já eu sou o tipo fone de ouvido pode puxar papo comigo gritar que mesmo que eu escute vou fingir que não.

  2. Auaheuhauheu super verdade esses personagens. O chato é quando o ônibus está lotado e as pessoas acham normal te esmagar, levar um pedaço do nosso corpo quando vão passar ou aqueles que literalmente se seguram em você (comassim?! haha. Fico muito irritada). Ah, claaaro, e pessoal do colegial que decide cantar em grupo (sim, isso existe!)… Os vendedores ambulantes… Pregadores da palavra de Deus no ônibus… ENFIM HAHAH. Nem preciso comentar que me identifiquei com esse texto ❤ haha.
    Fiz um blog recentemente, se quiser conhecer 🙂 quedasetropecos.wordpress.com , beijos!

    • hahahahaha Quase da para fazer outro texto com essas suas histórias. É difícil não se identificar né?
      Acabei de publicar outro texto, se quiser depois passa aqui para ler.
      Vou lá te visitar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s